Depois de décadas de existência, o Oscar se tornou um pouco previsível, talvez não nas premiações, mas nas indicações. Jornalistas, críticos, e até atores e diretores já sabem que existe uma fórmulinha a ser seguida para ser lembrado pela Academia. Dramas baseados em fatos, cinebiografias de gente famosa, gente querendo reparar erros e injustiças, geralmente são favoritos a faturar estatuetas.

Sabendo desses detalhes, todos os anos surgem os chamados filmes “para o Oscar”, longas que tem várias das características necessárias e que são feitos quase que exclusivamente para as premiações. Mas mesmo assim acontecem as exceções, vamos listar aqui alguns filmes que obedecem quase todas as regrinhas básicas, que os realizadores até prepararam o smoking, mas que no fim não receberam nenhuma indicação e/ou estatueta do Oscar.

1 - Sete Vidas (2008)

O filme acompanha Ben Thomas (Will Smith), um fiscal do imposto de renda que guarda um trágico segredo. Isso o faz conviver com a culpa, e o motiva a ajudar completos desconhecidos. Até que ele conhece Emily Posa (Rosario Dawnson), e descobre que ele também precisa ser ajudado.

O filme é bem bacana, e é um drama feito claramente em prol do Will Smith faturar um Oscar de atuação, ou pelo menos a sua terceira indicação. Por isso a repetição da parceria com o diretor Gabriele Muccino, que já havia trabalhado com ele em A Procura da Felicidade. Mas a crítica não abraçou totalmente o filme, “acusando-o” de manipular emocionalmente o espectador, quase que o forçando a chorar. Realmente a dupla de protagonistas está muito bem, mas as críticas ao roteiro impediram a indicação dos dois.

2 - A Cor Púrpura (1985)

A Cor Púrpura era uma adaptação de um best seller premiado, sobre temas como discriminação racial e sexual. Um clássico que foi indicado á 11 estatuetas e não faturou nenhum.

E é isso, como essa definição de “filmes para o Oscar” pode ser bem subjetiva, então pode ser que tenha alguns injustiçados nessa lista. Vale dizer que a grande maioria desses filmes é excelente, e com certeza tem que ser vistos. O ponto aqui é que eles não atingiram o objetivo para o qual aparentemente foram feitos, que era faturar as estatuetas.

3 - Austrália (2009)

Um filme épico romântico pré-Segunda Guerra Mundial, que trazia no elenco os queridinhos Hugh Jackman e Nicole Kidman. Dirigido pelo megalomaníaco Baz Luhrmann com bela fotografia, ótimo figurino e atores competentes. Um filme pronto para as premiações.

Não deu, a única indicação ao Oscar foi na categoria de figurino, mas nem nela saiu vitorioso. É um bom filme, como a maioria dos outros da lista, mas também foi ignorado pela exigente Academia.

4 - Tão Forte e Tão Perto (2011)

Drama baseado em um livro sobre uma história pós 11 de setembro, estrelado pelos queridinhos Tom Hanks e Sandra Bullock. Conhecemos Oskar Schell, de 11 anos, que encontra uma misteriosa chave que pertencia a seu pai, que morreu no World Trade Center, e parte em uma incrível jornada.

A crítica se dividiu, dizendo que o filme apelou para o melodrama e a chantagem emocional com os espectadores. Mesmo assim ele foi indicado á dois Oscars, incluindo o de melhor filme, não levou nenhum. Mas é um filme que vale a pena ser visto.

5 - O Solista (2009)

Um filme baseado em um livro, baseado na história real do prodígio musical Nathaniel Ayers, que desenvolveu esquizofrenia enquanto estudava na famosa escola de artes performáticas Juilliard, de Nova York, e o caminho até ele se tornar um morador de rua. Aqui ainda conhecemos a relação que ele desenvolve com um jornalista da L.A. Times. Roteiro pronto para o Oscar. Ainda tínhamos dois ótimos atores como protagonistas, Jamie Foxx e Robert Downey Jr.

A crítica novamente se dividiu acerca do roteiro, admitindo a decepção com o diretor Joe Wright. Mesmo sendo um bom filme, com boas atuações, é quase que unanimidade a sensação de que ele não atingiu as expectativas, logo, ele foi prontamente ignorado pela Academia.

Adaptado de Taxi café

0 comentários:

Postar um comentário

 
Top