Aviões, trens e automóveis podem ter nos carregado para todos os cantos ao longo do século 20, mas já são notícia velha. O transporte do futuro será mais na linha de levitação magnética, jetpacks e tirolesa. Aliás, esse futuro pode estar mais próximo do que você pensa.

1 - SkyTran

Tel Aviv, em Israel, é uma cidade vibrante com um grande problema de tráfego. É por isso que estabeleceu o objetivo de conquistar os céus, com um transporte público magnético chamado SkyTran. Ele correrá por faixas de metal de seis metros acima do solo, embora não estará realmente nas faixas: os carros ficam travados abaixo dos trilhos, flutuando quase sem atrito, graças à tecnologia maglev (levitação magnética). Os passageiros poderão usar um aplicativo de smartphone para chamar um carro até a estação mais próxima. Os carros podem funcionar de forma independente. De acordo com o CEO da SkyTran, Jerry Sanders, o bilhete para uma volta vai custar um pouco mais do que um ônibus, mas menos do que uma distância comparável em um táxi. Além disso, uma vez que painéis solares forem instalados, o sistema será de energia neutra. SkyTran será capaz de atingir velocidades de até 241 quilômetros por hora, mas vai rodar mais lento, pelo menos em um primeiro momento, para os passageiros se acostumarem com a ideia.

2 - SCARAB

Este veículo conceito é elegante, aerodinâmico e lembra vagamente uma moto, mas também é fechado, com muito espaço para bagagem, e alimentado por baterias, biocombustível ou uma célula de combustível. Com quatro rodas, você pode dirigi-lo manualmente, mas ele também é capaz de dirigir sozinho em certos caminhos e inclina-se em duas rodas para estacionar com mais facilidade. Também é desmontável. O designer David Miguel Moreira Gonçalves tinha o ambiente urbano em mente quando elaborou este projeto, com o objetivo de criar uma solução para um novo sistema de transporte urbano composto por veículos e infraestrutura sustentável e adaptável. Em outras palavras, ele percebeu que as pessoas preferem veículos pessoais a transporte público, então tentou pensar em algo ambientalmente amigável que ainda podia ser individualizado. Nenhum SCARAB foi construído até agora, mas a esperança é a última que morre.

3 - Skylon

Skylon está sendo apontado como o sucessor do Concorde, o avião que viajou mais rápido do que o som, mas foi aposentado há quase 10 anos. Em 2013, o Reino Unido anunciou planos para gastar mais de 90 milhões de dólares (R$ 200 mi) desenvolvendo o Skylon, um avião superrápido que pode viajar a cinco vezes a velocidade do som e sair da órbita da Terra para ir ao espaço. Seria capaz de decolar de qualquer pista do mundo, e poderia levar 300 passageiros de Londres a Sydney em quatro horas. Ou poderia ser usado para levar uma carga de até 15.000 kg ao espaço, para a Estação Espacial Internacional, por exemplo. Seu desenvolvimento está apenas começando, e há alguns obstáculos formidáveis a serem superados. Além da tecnologia não ser nada simples, US$ 90 milhões é apenas o começo – o custo final pode chegar a mais de um bilhão de dólares. No entanto, muitos cientistas estão otimistas sobre o projeto. Se tudo correr conforme o planejado, um protótipo estará pronto até 2017, com o avião comercial se tornando realidade dois anos mais tarde. Depois disso, acesso ao espaço ou a qualquer lugar do mundo dentro de quatro horas será possível.

4 - Kolelinio

Acredite ou não, uma viagem de tirolesa poderá em breve tornar-se realidade com Kolelinio, um conceito apresentado por Martin Angelov na conferência TEDx em Salonica, na Grécia, em 2010. Angelov prevê uma rede de fios que cruza os céus, permitindo que as pessoas viajem de lugar para lugar. A ideia é acabar com estradas caras e veículos poluentes, utilizando Kolelinio para percorrer distâncias sentado em uma cadeira perto do chão em zonas de pedestres e mais alta em áreas com tráfico. Há algumas desvantagens, no entanto. Kolelinio não oferece nenhuma proteção contra o mau tempo, e não é ideal para pessoas com medo de altura. No entanto, é uma ideia inovadora.

5 - Velo-city

Seria ótimo ir de bicicleta para o trabalho todos os dias, mas também seria um grande esforço. Um que em breve pode ficar um pouco mais fácil. Em 2006, a cidade de Toronto revelou planos para um sistema de trânsito de alta velocidade, ultrassilencioso e livre de poluição: uma ciclovia projetada pelo arquiteto Chris Hardwicke. A ideia era construir um tubo com três faixas elevadas para bicicletas e separadas por direção, permitindo uma circulação de ar que criaria um vento de cauda. A eficiência dos ciclistas poderia ser melhorada em até 90%, e eles poderiam atingir velocidades de 50 quilômetros por hora. Velo-city, como o projeto é chamado, também seria ideal para climas frios, já que os ciclistas seriam protegidos dos elementos como chuva e vento. Embora a ideia tenha sido aclamada quando foi proposta pela primeira vez, o projeto foi arquivado por falta de financiamento. Apesar disso, não foi esquecido. Talvez teremos bicicletas voando confortavelmente acima de nossas cabeças em um futuro próximo.

Adaptado de Hype Science

0 comentários:

Postar um comentário

 
Top