Quando ouvimos falar em cidades fantasma logo nos lembramos de lugares de filmes de terror ou faroeste, mas elas são muito reais. Há uma série de povoados que por razões naturais, como explosões vulcânicas e alagamentos, ou por acontecimentos históricos, como guerras, foram abandonadas por seus moradores e tiveram suas construções quase destruídas pelo tempo.

Elas estão espalhadas por vários cantos do planeta, tornando-se muitas vezes pontos turísticos, atraindo turistas interessados na história por detrás das ruínas ou mesmo em possíveis encontros sobrenaturais. Descubra um pouco mais sobre estas relíquias do tempo e da história.

1 - Pompeia (Itália)

A mais antiga e conhecida cidade abandonada é Pompeia, no sul da Itália, a 22km de Nápoles. Ela foi coberta por lava, cinzas e lama após a erupção do vulcão Vesúvio, em 79 d.C., o que conservou as construções, objetos e até mesmo os corpos que foram encontrados petrificados na posição que estavam no momento em que foram atingidos. Como a cidade foi reconstruída a alguns quilômetros do local da tragédia, ignorou-se o paradeiro das ruínas por muito tempo. A cidade ficou soterrada por mais 1600 anos e só começou a ser escavada no século 18. Em 1997, foi reconhecida como Patrimônio da Humanidade, pela Unesco.

2 - Chernobyl (Ucrânia)

Localizada no norte da Ucrânia, perto da fronteira com a Bielorrússia, encontra-se totalmente abandonada desde o maior acidente nuclear de todos os tempos. Quando o país ainda integrava a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas foi construída a usina nuclear Chernobyl, na cidade de mesmo nome. Em 1986, um dos reatores explodiu, liberando radiação nuclear extremamente nociva a toda forma de vida. A cidade foi totalmente evacuada, o reator foi isolado com uma proteção que chamam de “sarcófago” e somente há alguns anos, após ser comprovado que a radiação na área baixou a níveis seguros, foi liberada para visitação.

3 - Saint Elmo (Estados Unidos)

A cidade de Saint Elmo, no Colorado, surgiu no fim do século 19 como um vilarejo de mineiros. A população da cidade, assim como sua economia, variava muito de acordo com a demanda por minérios, principalmente a prata. Após a Segunda Guerra Mundial, a procura por este metal caiu muito e gradativamente os mineiros foram deixando a cidade. Na década de 1950, se tornou praticamente uma cidade fantasma, quando os últimos habitantes partiram. O lugar foi tombado como patrimônio nacional americano e atrai muitos turistas, por seu clima de faroeste, que ainda preserva algumas construções da época.

4 - Kolmanskop (Namibia)

A cidade fantasma de Kolmanskop fica a alguns quilômetros da cidade portuária de Lüderitz. Em 1908, a cidade foi tomada pela febre do diamante e por pessoas interessadas em fazer fortuna fácil com o mineral. Em apenas dois anos, um município inteiro emergiu das areias do deserto, com cassino, escola, hospital e um completo residencial de luxo. Mas a bonança não durou muito. Bastou o comércio de diamantes diminuir, com o fim da Primeira Guerra Mundial, para a cidade entrar em colapso. Na década de 1950, a cidade estava vazia e as dunas retomaram o que sempre foi delas.

5 - Oradour-sur-Glane (França)

Desta pequena cidade francesa hoje só restam ruínas. Atacada pelos nazistas em 1944, teve sua população exterminada cruelmente em um dos ataques mais covardes da Segunda Guerra Mundial. A cidade não foi reconstruída por ordem do então presidente Charles De Gaulle, que decretou que as ruínas fossem mantidas como estavam como um memorial a todos os mortos pelo nazismo em território francês. A nova Oradour-sur-Glane foi construída a poucos quilômetros dali e, apesar da história triste, o passeio pelas ruínas é muito interessante. Em 1999, Oradour-sur-Glane foi nomeada cidade-mártir e recebeu um memorial oficial.

Adaptado de eHow

0 comentários:

Postar um comentário

 
Top