Você vai ficar surpreso com o tanto de coisa que deveria ser supersimples, mas que nós insistimos em fazer errado. Pior: nem sabemos que somos muito ruins nisso.

1 - Respiração

Respire fundo agora. Se você for como a maioria das pessoas, você levantou os ombros um pouco e estufou o peito como um pombo no cio. Você provavelmente não viu nada de errado em usar o seu peito para respirar, mas na verdade o músculo que você deveria usar para a respiração, o diafragma, está mais perto de sua barriga.

Em posição vertical, a maioria das pessoas são habituais respiradoras de peito. Geralmente, usamos uma forma superficial de respiração que aproveita apenas a parte superior dos pulmões. Na realidade, a maioria dos vasos sanguíneos que levam oxigênio estão na parte inferior. Assim, levamos menos oxigênio para o pulmão e, como resultado, respiramos mais rapidamente do que a natureza pretendia que fizéssemos.

Respiração torácica também tende a perturbar o equilíbrio oxigênio/dióxido de carbono do sangue e pode levar a dores de cabeça, fadiga, ansiedade e até mesmo ataques de pânico. Também potencialmente deixa as mãos suadas, causa dificuldade em relaxar, percepção da dor acentuada e fadiga geral.

A respiração é uma área em que os bebês são muito mais inteligentes do que nós. Eles usam um tipo mais profundo de respiração chamada respiração abdominal, que faz pleno uso dos seus diafragmas. Felizmente, podemos treinar nosso corpo adulto para voltar a respirar corretamente.

Tente “inflar” o estômago ao respirar, ao mesmo tempo mantendo o peito relativamente parado. Em seguida, contraia os músculos abdominais na expiração. Não só isso vai dar-lhe mais oxigênio durante a respiração, como acabará por reforçar seu diafragma. Um diafragma mais forte significa que você obtém mais oxigênio a cada respiração, e seu cérebro não precisa desviar o gás de seus músculos, e assim você se cansa menos facilmente.

Um estudo com pacientes cardíacos mostrou que esse tipo de respiração leva a um melhor desempenho em exercícios físicos e diminui a falta de ar.

2 - Cocô

Até bebês sabem fazer cocô, então como podemos estar fazendo isso errado?

O sanitário é uma invenção relativamente recente, que cavou seu caminho para o coração da humanidade com o advento da água encanada no século 19. Água encanada é ótima na maior parte do tempo, mas o estilo de fazer cocô que veio com ela definitivamente não é. Defecar sentado em um vaso sanitário moderno é o maior causador de hemorroidas, e também pode causar doença diverticular, uma condição relacionada com a idade que praticamente só ocorre nas partes do mundo onde são usados vasos sanitários sentados. Essa condição pode levar a uma gama de problemas, até e incluindo obstrução do cólon.

Felizmente, há uma maneira relativamente simples de acabar com esse dilema. Um estudo de 2003 observou 28 pessoas fazendo cocô em três posições: sentadas em um vaso sanitário elevado, sentadas em um vaso sanitário mais baixo, e de cócoras (como costumávamos fazer cocô antigamente). Os pesquisadores descobriram que as pessoas demoraram cerca de um minuto a menos para defecar quando fizeram cocô de cócoras. Os participantes também classificaram a experiência como “mais fácil” (esperamos que eles tenham sido pagos).

Quando você está em uma posição sentada ou em pé, forma um ângulo entre o onde o cocô está e onde deveria sair. Há até mesmo um músculo cujo objetivo é apertar as coisas quando estamos sentados ou em pé para evitar acidentes. Ficar de cócoras endireita este ângulo e remove o choque.

Se o pensamento de ficar cócoras em cima de seu vaso sanitário não é interessante para você, você pode produzir esse ângulo de maneira semelhante descansando os pés sobre um banquinho e inclinando a metade superior de seu corpo para a frente.

3 - Banho

Tomar banho diariamente, apesar de nos tornar mais socialmente aceitáveis, causa estragos em algo chamado de camada córnea. Água quente, sabão e superfícies abrasivas retiram a camada córnea, expondo as células vivas do nosso corpo aos elementos. Prejudicar esta camada protetora da pele nos torna mais suscetíveis à doenças.

O banho não mata bactérias ou outros microrganismos, embora possa movê-los. Uma colônia de bactérias que vive na parede do seu chuveiro pode mover-se para sua perna; uma colônia de sua perna pode mover-se para a sua cabeça; uma colônia de sua virilha pode até fixar residência em suas mãos.

Já o uso de sabonetes antibacterianos pode matar microrganismos. Em um esforço para não criar demasiadas superbactérias, médicos geralmente recomendam não usar esses sabonetes diariamente.

A coisa mais importante a fazer para manter a pele saudável é preservar a camada córnea. Não há nenhum número mágico de banhos a cada semana, mas é geralmente aceito que o número cairia em sete ou menos. Evitar tomar banho diariamente dá tempo a sua pele para reparar alguns dos danos que o último chuveiro causou.

Claro que ficar sem tomar banho não é fácil, socialmente falando. Então, quando você de fato for pra baixo do chuveiro, prefira água morna ou fria e sabão neutro, e hidrate a camada córnea com algum creme hidratante depois.

4 - Dormir

Parece que ninguém pode “dormir errado”, mas toda vez que você acorda no meio da noite parece que algo está errado, não? Por que você não consegue dormir uma noite inteira?

Neste caso, você está fazendo a coisa certa. É a sua reação que está errada.

A ideia de que oito horas ininterruptas é o único padrão de sono natural para a humanidade é surpreendentemente recente. Antes de alguém que não foi Thomas Edison inventar a lâmpada, as pessoas em áreas com mais de oito horas de escuridão geralmente dormiam de 3 a 5 horas, acordavam por uma hora, e voltavam a dormir outras 3 a 5 horas. A hora ou mais de tempo acordado era utilizada para a reflexão, sexo, fumo e praticamente tudo, exceto olhar para a parede com medo de insônia.

Nos últimos tempos, a luz artificial tem empurrado a nossa hora de dormir cada vez mais tarde, e o sono segmentado foi comprimido em um único de oito horas. Ainda assim, nossos cérebros são naturalmente “programados” para o sono segmentado. Em um experimento de um mês, indivíduos saudáveis receberam uma longa “noite” artificial com duração de 14 horas. Eles rapidamente mudaram seu sono para o padrão segmentado, acordando por uma ou duas horas entre dois trechos de três a cinco horas de sono.

Felizmente, se você não for do tipo que quiser acordar no meio da noite, não há problema. De acordo com especialistas, se você manter a calma e deixar-se cair de volta no sono naturalmente, em vez de ficar em pânico se perguntando por que você está acordado, provavelmente não terá quaisquer efeitos negativos no dia seguinte.

5 - Sentar

Passar muito tempo sentado aumenta o risco de diabetes, doenças cardíacas e até câncer, não importa o quanto você se exercite quando não está sentado. Sentar-se por longos períodos de tempo também aumenta sua chance de morrer mais cedo, de qualquer causa. E tudo isso é culpa da invenção de cadeiras.

As cadeiras de encosto reto com que estamos familiarizados hoje existem há milhares de anos, mas, até recentemente, eram quase que exclusivamente direcionadas às pessoas realmente importantes. Nós ainda temos expressões como “cátedra universitária” e “cadeira cativa” que mostram a ligação entre uma cadeira e liderança.

Sendo assim, nossos corpos não são projetados para esse suporte em ângulo reto. Quando estamos em pé, ou mesmo sentados sem encosto, nossos músculos abdominais ficam ativos, ajudando nossas costas a apoiar o nosso peso. Já quando sentamos em uma cadeira, esses músculos relaxam e, de repente, nossa coluna tem que suportar a parte superior do tronco sozinha, como um galho segurando uma bola de boliche. O esforço extra coloca pressão sobre os discos da coluna vertebral e pode eventualmente levar a dor nas costas crônica, algo que é experimentado por quase todo mundo (carece de estatística, mas o senso comum concorda largamente).

Alguns especialistas recomendam uma “postura ativa”, que significa ficar ajoelhado ou sentado em algo sem encosto. Há também mesas de trabalho nas quais a pessoa fica em pé.

Além disso, deitar as costas em um ângulo de 135 graus com os pés no chão, em uma posição reclinada, também parece ser melhor para as costas que sentar em um ângulo de 90 graus, de acordo com um estudo que utilizou ressonância magnética.

Adaptado de Cracked

0 comentários:

Postar um comentário

 
Top