Tem coisas que simplesmente não são ensinadas na escola, como esses cinco fatos sobre o parto humano:

1 - Depressão pós-parto não é sempre depressão nem pós-parto

Quanto mais pesquisas são feitas na área, mais os cientistas sugerem que a doença mental que atinge novas mães não só é mais comum do que se acreditava, como também mais variada. Ela não ocorre somente nas semanas imediatamente após o parto; pode ocorrer quando as mulheres ainda estão grávidas. Além disso, os sintomas não são limitados aos de depressão.

No primeiro ano após o parto, os estudos sugerem que pelo menos uma em cada oito e tanto quanto uma em cada cinco mulheres desenvolvem sintomas de depressão, ansiedade, transtorno bipolar, transtorno obsessivo-compulsivo ou uma combinação desses sintomas.

É difícil prever quais mães são mais propensas a desenvolver estas doenças. Enquanto estudos estão revelando pistas sobre quem é mais vulnerável, muitas vezes há casos que parecem “surgir do nada”.

De acordo com Katherine L. Wisner, professora de psiquiatria e obstetrícia da Universidade Northwestern (EUA), a depressão durante a gravidez pode passar desapercebida porque sintomas como dificuldade para dormir e mau humor também ocorrem em mulheres grávidas que não estão deprimidas.

O problema do diagnóstico também é agravado por preconceitos. “Os médicos, historicamente, têm sido ensinados na escola médica de que ‘as mulheres não ficam deprimidas durante a gravidez, porque estão felizes’”, afirma Wisner.

2 - A placenta é muito parecida com sua boca

Uma prova de que os fetos podem adquirir bactérias no útero foi a descoberta de que o DNA de uma variedade de microrganismos pode ser encontrado em placentas de mulheres grávidas saudáveis. O que é curioso é que, quando os pesquisadores compararam os microbiomas da placenta de mulheres grávidas com os da pele, da boca, do nariz, do intestino e da vagina de mulheres que não estavam grávidas, eles descobriram que o da placenta mais se assemelhava ao da boca.

3 - Parto é algo surpreendentemente arriscado

O parto é de alto risco para mamíferos em geral, mas é especialmente perigoso para os seres humanos. As restrições da pelve humana, que é muito estreita como uma compensação evolutiva que nos permite andar sobre duas pernas, combinadas com as cabeças excepcionalmente grandes dos bebês humanos tornam o nascimento humano especialmente difícil e, portanto, arriscado em comparação ao de outros animais.

4 - Seu parto poderia ter sido auxiliado por força centrífuga

Na década de 1960, os inventores Charlotte e George Blonksy desenvolveram um “aparelho para facilitar o nascimento de uma criança por força centrífuga”. O dispositivo foi concebido para ser “auxiliar e complementar”, ou seja, a força centrífuga e os esforços naturais da mãe, que estaria amarrada no aparelho, agiriam em conjunto para facilitar o parto da criança. Benditamente, o aparelho não fez muito sucesso.

5 - Em um ponto na vida, você se pareceu com isso

Em 2011, pesquisadores foram capazes de registrar a formação do rosto de um bebê usando imagens feitas entre o segundo e o terceiro meses de desenvolvimento fetal e combinando-as nessa animação que você vê acima. Um pouco assustador, mas naturalmente incrível.

Adaptado de io9

0 comentários:

Postar um comentário

 
Top