Uma das poucas verdades absolutas desse mundo é também uma das que temos mais dificuldades em aceitar: nascemos, crescemos e morremos. Não há escapatória. Todos nós um dia vamos morrer, e por mais que sejamos saudáveis e tenhamos o costume de olhar para os lados antes de atravessar a rua, não há como ter controle sobre a própria morte.

A seguir, confira algumas mortes que aconteceram de maneiras completamente bizarras:

1 - O homem que morreu enquanto homenageava um amigo morto

O base jump é considerado um esporte superperigoso – só para você ter ideia, são 242 mortes registradas desde 1981, então pense bem antes de se arriscar. O ator espanhol Álvaro Bultó Sagnier morreu em decorrência do salto perigoso e, em homenagem ao amigo, o chef Dario Barrio resolveu realizar o mesmo salto, mas acabou morrendo também.

2 - O homem que morreu durante um protesto contra o uso de capacetes

Contrário à obrigatoriedade do uso de capacetes para motociclistas, Phillip A. Contos resolveu participar de uma manifestação contra o acessório, que nada mais era do que um desfile de vários motociclistas sem capacetes. Contos, que pilotava sua Harley, acabou sofrendo um acidente e, devido a uma pancada na cabeça, morreu.

3 - O ex-condenado à cadeira elétrica que morreu eletrocutado

Depois de conseguir se livrar do temido corredor da morte, Lawrence Baker nem imaginava que morreria de choque elétrico de qualquer forma. Era mais um dia comum em sua vida de presidiário quando Baker resolveu ir ao banheiro, onde acabou sendo vítima de um curto-circuito e morreu eletrocutado.

4 - A mulher que morreu em seu próprio funeral

Depois de ter sido declarada morta vítima de um ataque cardíaco, a russa Fagilyu Mukhametzyanov acordou em seu próprio funeral. Assustada, a mulher começou a gritar histericamente e foi levada ao hospital, onde acabou morrendo “de novo”.

5 - O advogado que morreu tentando provar que a janela do prédio era inquebrável

O advogado Gary Hoy resolveu fazer uma demonstração para um grupo de estudantes no prédio onde trabalhava, em Toronto, no Canadá. A demonstração em questão era sobre a qualidade do vidro da janela que, segundo Hoy, era inquebrável. Não era a primeira vez que o advogado se jogava contra a janela para provar o quanto ela era resistente, mas em julho de 1993 o teste falhou, o vidro quebrou e Hoy despencou do prédio.

Adaptado de Oddee

0 comentários:

Postar um comentário

 
Top