Para não ser enganado por outras comidas supostamente veggie/vegan mas que contêm componentes de origem animal, trazemos uma lista com alimentos em que você deve ficar de olho:

1 - Maçãs

Sabe aquela maçã linda e brilhosa que você compra no sacolão ou no supermercado? Já sentiu que ela vem meio encerada? Pois vem mesmo. As maçãs produzem uma cera natural que retém a umidade da fruta. Depois de serem colhidas, elas são lavadas, e essa lavagem também remove a cera natural. Então, elas são cobertas com uma outra cera, que pode ser feita à base de carnaúba, candelilha ou de goma-laca. Esta última é um subproduto de uma resina fabricada por um besourinho que vive na região da Índia e da Tailândia. Quem não come mel de abelha também não vai querer comer uma resina feita por um besourinho, certo?

Infelizmente, os distribuidores de maçãs não costumam ser específicos sobre o tipo de cera utilizado (muitas vezes, aliás, eles nem sabem qual cera o produtor usou). A melhor forma de se precaver, nesse caso, é comprar as maçãs diretamente de um produtor local, de quem você vai poder consumir o fruto antes dele ser encerado.

2 - Iogurte

Também fonte de proteínas, cálcio e probióticos para vegetarianos, os iogurtes merecem um pontinho de atenção. Como os queijos, eles podem ser feitos com gelatina de origem animal. Os vermelhos ou cor-de-rosa – como os de morango, por exemplo – podem levar o tal corante feito de cochonilha.

3 - Batatas fritas

Para ficarem macias por dentro e crocantes por fora, as batatinhas fritas – aquelas compradas congeladas no supermercado – passam por um complexo processo que envolve alguns químicos. Uma dessas substâncias pode ser gordura bovina. Antes de serem congeladas, as batatas são pré-fritas, algumas vezes, em banha (apesar de os fornecedores jurarem de pés juntos que só usam óleo vegetal). Para ter certeza de que as batatas que você consome são 100% vegan friendly, é melhor fazer uma pesquisa dos ingredientes – ou comprar as batatas in natura no sacolão, cortá-las e fritá-las em óleo quente.

4 - Queijo

Apesar de ser uma boa fonte de proteínas e cálcio para os vegetarianos, é preciso ficar atento ao tipo de queijo ingerido, pois nem todos eles são totalmente vegetarianos. Alguns tipos, como o Grana Padano, Parmesão e Gorgonzola, são feitos com coalho, enzima que separa o soro da gordura. O problema é que esse coalho é retirado do estômago de novilhos abatidos. Por serem Denominação de Origem Controlada (DOC) e terem que obedecer a uma receita rígida, os queijos acima precisam levar esse ingrediente.

Pois bem. No mercado, existem outros queijos, muito parecidos com esses aí acima, mas que não seguem essas especificações. Portanto, eles não podem ser chamados de Gorgonzola, Grana ou Parmesão (porque eles não têm o certificado de qualidade). Assim, eles são queijos tipo gorgonzola, ou tipo grana padano, ou tipo parmesão. Esses queijos podem ser vegetarianos e levam uma levedura de origem vegetal, microbiana ou de fungos.

5 - Bebidas alcoólicas

Vegetarianos e veganos que não dispensam um barzinho com os amigos devem ficar de olho! O processo de filtragem da cerveja pode ser feito com produtos que derivam das bexigas natatórias dos peixes, dos caranguejos ou com gelatina (derivada de tutano de boi). Esses produtos coletam as leveduras e clareiam a cerveja para que ela não fique meio leitosa. Normalmente, esses produtos não ficam na bebida, mas é o mesmo caso do açúcar, que tem um processo não vegano ou vegetariano.

Outra bebida que pode conter traços de animais é o vinho, pois os mesmos produtos citados anteriormente podem ser usados para remover os taninos. A boa notícia para os amantes do vinho é que, agora, a maioria dessas bebidas já não é mais produzida com esses derivados de animais.

Adaptado de Super

0 comentários:

Postar um comentário

 
Top