Quem nunca desconfiou quando viu, no fim ou no início de um filme, o aviso “baseado em fatos reais”? Algumas histórias parecem inacreditáveis demais para terem acontecido fora das telas. Mas, acredite ou não, a realidade é capaz de superar qualquer forma de ficção.

1 - “A bolha assassina”, 1958

Você pode acreditar ou não. Mas a verdade é que a bolha assassina existiu de verdade. Tanto o filme de 1958 quanto o remake de 1988 foram baseados em um incidente que aconteceu na Filadélfia em 1950.
Em 26 de setembro, dois policiais em ronda viram o que parecia ser um paraquedas estendido. Eles chegaram ao local e encontraram, bem… encontraram uma “coisa”. Os diferentes relatos contam aspectos diferentes dessa coisa. Ao que parece, ela tinha quase 2 m de diâmetro, era roxa, cheia de cristais e soltava uma fumacinha. Um dos policiais colocou a mão, que ficou melecada por um “resíduo gosmento sem odor”. Felizmente, ninguém ficou preso na bolha, como acontece nos filmes. Em vez disso, a coisa se dissolveu e desapareceu.

O FBI foi chamado para analisar o caso, mas os agentes não chegaram a tempo. O bureau pediu à Força Aérea que investigasse o caso, mas a organização se recusou. O que os policiais viram – e o que ficou grudado na mão de um deles – é, até hoje, um mistério.

2 - “Prenda-me se for capaz”, 2002

Este filme conta a história de Frank Abagnale Jr. (Leonardo DiCaprio) – em última análise, um grande golpista que fingiu ser piloto de avião, advogado, médico e passou para trás pessoas de três continentes para ganhar milhões de dólares. Tudo isso antes dos 19 anos de idade.

Parece coisa de filme, mas Frank William Abagnale, Jr. existiu de verdade. Ele é um vendedor de seguros norte-americano que se gaba de ter assumido oito identidades diferentes antes dos 21 anos. Ele escapou da prisão duas vezes e ficou preso menos de cinco anos. Hoje em dia, ele é consultor e palestrante da academia e para os oficiais do FBI. Ele também fundou a Abagnale & Associates, uma consultoria de fraudes financeiras (maior especialista no assunto, não há).

3 - “A ira de um anjo”, 1992

O filme feito para a TV conta a história de Catherin, uma menina de aproximadamente dez anos que é adotada por uma família dos Estados Unidos junto com seu irmão. Tudo parecia bem, até que ela começou a ter ataques inexplicáveis de fúria e crueldade. De uma vez, destruiu um ninho de passarinhos com os filhotes dentro. De outra, espetou o cachorro da família com agulhas até que o animal começasse a sangrar. O ápice das agressões foi quando ela bateu a cabeça do irmão no chão de concreto até o menino precisar ser levado para o hospital e tentou matar o pai adotivo a facadas enquanto ele dormia. Buscando as raízes do problema, os pais adotivos descobrem que a menina foi abusada por seu pai biológico e havia desenvolvido o chamado Transtorno de Afeto Reativo, em que a pessoa não consegue criar laços.

Troque “Catherin” por “Beth Thomas” e você terá um fato real. Beth foi, realmente, abusada pelo pai e desenvolveu esse distúrbio que a fazia querer ferir e matar as pessoas ao seu redor. Felizmente, a família que a adotou não se deixou abater pela dificuldade, encontrou um tratamento para Beth, persistiu nele e, hoje em dia, ela é uma pessoa normal. Ela é enfermeira e trabalha na divulgação da Terapia dos Laços, método responsável por sua reabilitação social.

4 - “Como se fosse a primeira vez”, 2004

Este é um daqueles filmes que a gente pensa que não tem como ser verdade. Na trama, Drew Barrymore interpreta uma mulher que, por conta de um acidente, sofre de uma forma de amnésia recente. Toda vez que ela vai dormir, todas as lembranças do dia anterior são apagadas. Cabe a Henry (Adam Sandler) o desafio de conquistá-la – todos os dias.

No mundo real, pasme, existe uma mulher com uma estranha forma de amnésia que a impede de formar novas memórias. Michelle Philpots é uma londrina casada há 13 anos e que duvida de todos os fatos acontecidos nos últimos 25 anos de sua vida, depois que um acidente de carro afetou seu cérebro. Para se lembrar das coisas, ela anota tudo em post-its e confia em seus álbuns de fotografia.

5 - “Vivos”, 1993

O roteiro conta a história de um time de rugby uruguaio que está em um voo sobre a Cordilheira dos Andes, a aproximadamente 20 minutos do pouso. Ao sair de uma grossa camada de nuvens, porém, o avião se choca contra um pico que não havia sido captado pelos sensores, e o avião se parte ao meio. O avião cai na cadeia montanhosa e os sobreviventes devem lutar por suas vidas até que alguma forma de resgate venha em seu socorro.

Essa tragédia aconteceu de verdade! O filme é baseado no livro “Alive: The Story of the Andes Survivors” (ou “Vivos: a história dos sobreviventes dos Andes”), que detalha a saga do time de rugby uruguaio que estava a bordo do voo 571 da Força Aérea do país. O avião se chocou contra as montanhas em 13 de outubro de 1972, e o resgate só começou a ser feito em 22 de dezembro. Dezesseis pessoas saíram vivas da tragédia – somente duas do time de rugby.

Adaptado de Super

0 comentários:

Postar um comentário

 
Top