Sempre que se ouve falar em overdose, a primeira associação que vem à lembrança é o abuso de drogas opiáceas, mas, surpreendentemente, dá para sofrer overdose de coisas mais triviais.

Vale lembrar que “overdose” significa a ingestão de uma substância em uma quantidade superior à que é segura. Isso pode causar uma intoxicação leve ou mesmo levar à morte, dependendo da severidade da overdose.

1 - Cafeína

A cafeína é objeto do maior abuso no mundo. Muita gente bebe diariamente café ou chá, e não uma, mas várias vezes por dia. Só que a ingestão de mais de 600 a 900 miligramas diariamente resulta em overdose. Para se ter uma ideia, um café (350 ml) Blonde Roast do Starbucks contém 260 mg.

E o que acontece se você sofrer uma overdose de café? Bom, você vai para o hospital com arritmia cardíaca, agitação, vômitos, tremores musculares, insonia, ansiedade e dores de cabeça. Se você não tomar cuidado, pode entrar em coma e até morrer.

2 - Água

Aparentemente, não tem nada mais inócuo que a água. No entanto, em 2007 uma mulher morreu de intoxicação por água durante um concurso promovido por uma rádio e, em 2005, um estudo mostrou que cerca de 13% dos maratonistas da Maratona de Boston tinham níveis extremamente baixos de sódio no sangue.

O consumo excessivo de água causa uma condição conhecida como hiponatremia, que é o baixo nível de sódio no sangue, e os sintomas incluem cefaleia, apatia ou agitação, desorientação, náusea, vômito e cãibras. Como vimos, uma overdose de água pode facilmente matar alguém.

3 - Cenouras, laranjas, morangos

Um dos elementos comuns a estes alimentos é a vitamina C, e esta também pode causar intoxicação. É muito fácil chegar a uma overdose, pois o corpo humano só é capaz de processar 2.000 miligramas por dia.

Se você está tomando um suplemento vitamínico e também ingere estas frutas, pode acabar tendo uma overdose, que vai causar vômitos, azia, dor de cabeça, cálculos renais e problemas digestivos como cólicas e diarreia. 11,9 mg/kg de vitamina C pode te matar, mas é isso muita vitamina, mais um caso de dose letal teórica.

4 - Peixe

O peixe sempre foi considerado um alimento saudável, só que um estudo de 2010 descobriu que o atum contém metilmercúrio, um contaminante comum em regiões industrializadas.

Se você acha que não tem nada de mais, saiba que a overdose de metilmercúrio pode causar danos cerebrais permanentes. Para saber se o consumo é excessivo, é preciso saber de onde o peixe veio, quanto dele você come e qual sua massa corporal. A recomendação geral, no entanto, é não mais que 170 gramas, ou um filé por semana.

5 - Alcaçuz

Recentemente, um estudo de caso foi publicado no Pediatic Neurology descrevendo um menino italiano que foi internado com convulsões, dores de cabeça e pressão alta. Depois de uma semana no hospital, os médicos notaram que os dentes do menino estavam pretos, o que acabou revelando a causa dos sintomas: intoxicação por alcaçuz.

O moleque havia comido 20 balas de alcaçuz, que são pretas, por dia, nos últimos quatro meses. A raiz do alcaçuz contém ácido glicirrízico, 50 vezes mais doce que o açúcar. Ela tem sido usada como remédio nos últimos 4.000 anos ou mais, no tratamento de hepatite crônica, inflamação, úlceras, lesões no fígado e até mesmo viroses. Só que, ao ingerir tanto alcaçuz, o menino sofreu uma intoxicação. Encerrado o consumo excessivo, ele voltou ao normal.

Adaptado de DNews

0 comentários:

Postar um comentário

 
Top