Durante décadas a Casa das Ideias foi considerada sinônimo de fracasso nas telonas (que ironia, não?). Tudo devido a produções equivocadas e mambembes, muito inferiores às aventuras bem-sucedidas de Batman e Superman, da sempre rival DC Comics.

Neste post relembramos justamente os filmes com personagens da Marvel que NÃO deram certo. Relembre e lamente!

1 - Capitão América (1990)

Antes de Chris Evans, o Capitão América já havia aparecido em um filme produzido em 1944 (no meio da Segunda Guerra Mundial, como propaganda contra Hitler) e também nesta produção de 1990.

O longa nasceu com uma certa expectativa, a começar pelos nomes procurados para interpretar o herói: Arnold Schwarzenegger (descartado devido ao forte sotaque), Dolph Lundgren (que estava rodando O Justiceiro) e Val Kilmer (recusou o papel para rodar The Doors). O escolhido foi o desconhecido Matt Salinger, filho do escritor J.D. Salinger (de "O Apanhador no Campo de Centeio").

Modificações no roteiro e cortes no orçamento, além das conhecidas limitações técnicas existentes na época, fizeram com que Capitão América sequer fosse lançado nos cinemas americanos, apesar dele estrear em diversos países (o Brasil inclusive). O filme foi ressuscitado pela própria Marvel em 2011, na época do lançamento de Capitão América: O Primeiro Vingador, quando teve algumas sessões especiais.

2 - O Homem-Coisa: A Natureza do Medo (2005)

No início do século XXI, a Marvel fechou um acordo com a Artisan Entertainment (em alta graças ao sucesso de A Bruxa de Blair) para produzir filmes envolvendo seus personagens menos conhecidos. O primeiro deles foi o cultuado Homem-Coisa, que influenciou escritores famosos como Neil Gaiman. Só que o resultado ficou bem aquém do esperado.

Sem qualquer ator minimamente conhecido, O Homem-Coisa: A Natureza do Medo inicialmente seria lançado direto em home video nos Estados Unidos. Os produtores chegaram a cogitar um lançamento restrito em alguns países, mas a recepção nas exibições-teste foi tão ruim que o filme ficou engavetado por um bom tempo. Apenas em 2005, dois anos após as filmagens, é que foi exibido no Sci Fi Channel, na TV por assinatura norte-americana.

3 - Howard, o Super-herói (1986)

Você reparou naquele pato falante que aparece na cena pós-créditos de Guardiões da Galáxia? Trata-se de Howard, ícone daquele que pode ser considerado o maior fiasco da Marvel em todos os tempos!

O projeto, convenhamos, era promissor. George Lucas era o produtor e trazia consigo toda a bagagem (e fama) das séries Star Wars e Indiana Jones. A ideia era aproveitar as características do personagem, um pato resmungão preso na Terra, para criar uma divertida paródia aos filmes de ficção científica. Não deu certo!

Com um orçamento de US$ 35 milhões (sendo que US$ 2 milhões foram gastos apenas para confeccionar a roupa de Howard), o filme deu um prejuízo de US$ 21 milhões. Resultado: Lucas, que estava endividado devido aos US$ 50 milhões gastos na construção do Rancho Skywalker, teve que vender a divisão de animação da Lucasfilm ao colega Steve Jobs. Não demorou muito para que a empresa ganhasse outro nome: Pixar.

É, nem tudo tem seu lado ruim.

4 - O Quarteto Fantástico (1994)

Olhe para a imagem acima! E você ainda reclamava do Quarteto estrelado por Jessica Alba...

Esta primeira versão do Quarteto Fantástico é mais conhecida pela fama do que propriamente por ter sido vista. Afinal de contas, o longa-metragem jamais estreou nos cinemas e sequer foi lançado em VHS ou DVD. Foi a internet que, décadas depois, "ressuscitou" o longa-metragem.

O filme foi feito por um único motivo: a New Horizons tinha um prazo para iniciar a produção de um longa com os super-heróis, caso contrário os direitos sobre eles retornavam à Marvel. Assim, colocou US$ 1,5 milhão para rodar um filme que, antes mesmo de ser feito, já se sabia que não seria lançado. O objetivo era simplesmente segurar os direitos por mais alguns anos.

5 - Elektra (2005)

Se Ben Affleck foi massacrado como o protagonista de Demolidor - O Homem Sem Medo, por outro lado a aventura revelou o talento de Jennifer Garner como a mercenária Elektra. A atriz foi tão bem recebida pelo público e crítica que logo ganhou um filme para chamar de seu.

Misto de heroína e vilã nos quadrinhos, Elektra foi mal compreendida nesta nova versão para a telona. Repleto de diálogos e situações clichês, a aventura ainda modifica bastante da história da personagem nas HQs - crime inafiançável! A própria Jennifer Garner já deu uma entrevista chamando o filme de "terrível" e justificando que apenas o fez devido a obrigações contratuais.

Hoje, os direitos de Elektra estão de volta à Marvel. A personagem não aparece na recente série do Demolidor, mas quem sabe no futuro?

Adaptado de Adoro Cinema

1 comentários:

  1. Quem influenciou Neil Gaiman foi o Monstro do Pantano da DC Comics, de onde alias o Homem-Coisa foi copiado!
    Monstro do Pantano que também teve um filme horrivel pra TV.

    ResponderExcluir

 
Top