Você é do tipo que adora pregar peças nos amigos e, sempre que tem oportunidade, apronta alguma brincadeira para cima de alguém? Pois conforme você poderá ver nos casos a seguir, às vezes as coisas não saem bem como o planejado, e algo que parecia ser completamente inofensivo pode se tornar mortal. Confira:

1 - Surpresa!

O caso a seguir fará você pensar duas vezes antes de querer assustar alguém. Tudo aconteceu depois de a família Lal, do Colorado, vender a casa onde morava, deixando um dos filhos — um menino de 15 anos — com um amigo para cuidar do imóvel vazio. Só que Premila, a filha do casal Lal, achou que seria engraçado2 se esconder com um primo em um guarda-roupa, fazer barulho, e assustar os dois “guardas”.

Acontece que o amigo, um rapaz de 21 anos chamado Nerrek Galley, era fã de armas de fogo e, ao ouvir ruídos suspeitos na casa, pensou que havia um bandido no local. Assim, Nerrek pegou uma arma, deu outra para o irmão de Premila, e a dupla saiu em busca do suposto intruso.

A moça, quando ouviu os dois se aproximando, saltou de dentro do esconderijo para assustá-los e, Nerrek, crente de que se tratava de um assaltante, disparou em cheio em Premila. A jovem faleceu no hospital, e Nerrek, apesar de não ter sido condenado por sua morte, foi acusado de imprudência, abuso de menor, e de permitir que um menor empunhasse arma de fogo.

2 - Halloween fatal

Como você sabe, nos EUA existe a tradição de enfeitar as casas e ruas com temas macabros para celebrar o Halloween, e Jordan Morlan, um garoto do Kentucky de 16 anos, não só adorava a festa, como tinha o costume de assustar a alma de sua irmã mais nova nessa data. Pois o garoto estava pendurando uma forca em uma árvore do jardim de casa em preparação para a celebração, quando...

A irmãzinha encontrou Jordan pendurado na árvore, e foi avisar a mãe sobre o que o garoto estava aprontando. Esta, achando que se tratava de mais uma brincadeira do filho para assustar a irmã, não deu muita bola, mas ficou preocupada quando a menina disse que o irmão estava babando.

A mãe correu para o quintal, e os paramédicos foram chamados, mas apesar de Jordan ser levado ainda com vida para o hospital, ele acabou morrendo. Segundo a polícia, a morte do rapaz foi acidental, e provavelmente aconteceu porque ele teria ficado desorientado depois de colocar a forca, desmaiando depois que a corda apertou seu pescoço.

3 - Gracinha acidental

Veja se isso é brincadeira que se faça: um belo dia, Derek Greenlee e Seth Stonerock, dois adolescentes de Ohio, tiveram a ideia de cobrir uma placa de “Pare” com um plástico, deixando o sinal pouco visível. Para piorar, a dupla era adepta a aprontar com os outros e a postar as gracinhas no Facebook.

O que os bocós não imaginavam é que duas velhinhas — as irmãs Jeanne e Mary, de 80 e 85 anos de idade, respectivamente — passariam pelo cruzamento, não veriam a placa e seriam acertadas em cheio por um SUV que tinha preferencial. O motorista sofreu apenas ferimentos leves, mas, infelizmente, Mary morreu na hora, e Jeanne, apesar de ter sido levada com vida ao hospital, não resistiu e faleceu também.

Os adolescentes foram acusados de adulterar sinalização de tráfego e de homicídio culposo, e Stonerock foi condenado a quatro anos de prisão, dos quais ele cumpriu um total de oito meses. Greenlee, por sua vez, conseguiu escapar da sentença depois de provar que ele apenas teria ajudado a comprar o plástico, mas não teve participação em cobrir a placa.

4 - O Corvo?

Este caso que vamos contar lembra um pouco o que aconteceu com Jason Lee durante as filmagens de “O Corvo”. Em 2010, Jeffrey Charbonneau e Nicholas Bell — que eram melhores amigos — estavam passando uns dias com um amigo comum, quando Bell decidiu aprontar para cima de Charbonneau.

Bell pegou uma arma de ar comprimido, e decidiu disparar um tirozinho contra Charbonneau para assustá-lo. O que Bell não sabia é que, na verdade, se tratava de um rifle de caça de calibre .22 carregado, e o disparo atingiu Charbonneau no peito, matando o rapaz no local. Bell foi acusado de homicídio culposo, imprudência e agressão simples, no entanto, uma reviravolta no caso o levou à prisão.

Em um vídeo de 2009, Charbonneau aparece sangrando depois de ser atingido por Bell com uma “BB gun” — um tipo de pistola de ar —, enquanto ele se divertia com a situação, ou seja, não era a primeira vez que Bell atirava em alguém de “brincadeirinha”. O rapaz não contestou as acusações, e foi condenado a um ano de prisão e a sete anos de suspensão condicional da pena de homicídio.

5 - Caça ao tesouro letal

Sabe aquela brincadeira na qual vários grupos recebem uma lista de coisas que precisam ser coletadas, e o grupo que conseguir reunir tudo primeiro vence a competição? Pois esse jogo deu muito errado há alguns anos, quando estudantes de uma escola de Anchorage, no Alasca, saíram em busca de 46 itens que haviam sido espalhados pela cidade.

Um dos objetos da lista era um balão cheio de hélio que se encontrava no telhado de uma loja de móveis. Pois quando os integrantes de um dos grupos subiram até lá para pegar a bexiga, o dono do estabelecimento, pensando que se tratava de um bando de vândalos, saiu dando tiros para cima. Por azar, um dos disparos acertou um garoto chamado Clyde Thompson nas costas, e o jovem morreu a caminho do hospital.

O dono da loja alegou que ele não teve intenção de ferir ninguém, apenas espantar a molecada. Ele ainda disse que não fazia ideia que havia atingido Thompson — e muito menos que tinha matado o garoto —, e o homem não foi condenado pelo ocorrido.

Adaptado de ListVerse

0 comentários:

Postar um comentário

 
Top